ÚLTIMOS ARTIGOS

A Galax, líder mundial no segmento de placas de vídeo, deixou “escapar” imagens sobre sua suposta GeForce GTX 1080 Ti HOF (Hall Of Fame).

Não foram informadas ainda configurações e dados da placa, mas, ao que tudo indica, o novo modelo HOF parece ter um novo design com um sistema refrigeração melhorado.

Confira abaixo:

Galax-GeForce-GTX-1080-Ti-HOF-Hall-of-Fame-768x497

Esperamos ver o que a GALAX sabe fazer e nos traz de melhor sempre, que é velocidades de overclock de fábrica, qualidade na construção do projeto de PCB personalizado, e um ótimo sistema de refrigeração.

Espera-se que a GALAX GTX 1080 Ti HOF inclua um tema de cores totalmente branco, incluindo o PCB, assim como as gerações passadas. Além disso, há a observação de um triplo cooler.

Ainda, conforme a imagem, o logotipo da coroa pode caracterizar a iluminação com LED, embora não se tenha certeza se essa será single color ou RGB. Outrossim, terá provavelmente um conector de força 8+8 pinos, como também nos modelos passados.

Para aqueles que ainda não estão atualizados, a GeForce GTX 1080 Ti é baseada em um processo fabricação de GPN de 16nm, semelhante ao Titan X (Pascal). Possui 3584 núcleos CUDA com 224 TMUs e 88 ROPs. Ele também possui 11GB de GDDR5X, 484 GB / s de largura de banda de memória e um barramento de memória de 352 bits. A GTX 1080 Ti Founders Edition (primeiro modelo trazido ao público), apresenta uma velocidade de clock base de 1417 MHz e uma velocidade de clock de 1582 MHz e 11 GHz de velocidade de clock de memória.

Não há informações do seu lançamento, mas ao que tudo indica, a marca deverá revelar a placa com todas suas especificações em abril deste ano.

A AMD realizou uma apresentação na China no início deste mês que finalmente foi “vazada” graças ao VideoCardz, que esteve por lá e filmou todo o evento. Dentre as informações passadas, se destacam as novidades sobre a próxima geração de GPUs da empresa, a Vega. O executivo Scott Herkelman informou que as parceiras da empresa terão liberdade para customizar os componentes com diferentes capacidades de memória HBM2, citando como exemplos específicos as configurações de 4 e 8GB.

Herkelman confirmou também que as GPUs Vega ganharão, sim, uma versão para notebooks. Não foram passados muitos detalhes a respeito disso, então não se sabe se elas vão aparecer na forma de APUs ou de chips gráficos dedicados propriamente ditos, como a Nvidia têm feito desde a série 900 da GTX, mas o rumor do momento indica que as Vega 11, pelo menos, devem aparecer em notebooks de alta performance.

Via: WCCFTech | Fonte: VideoCardz

Os smartphones possuem as mais diversas especificações que podem classificá-los em nichos: de entrada, intermediário ou topo de linha. Mas o que determina a qual “segmento” o smartphone pertence? Características como resolução de display, quantidade de memória RAM, qualidade de câmera, bateria ou velocidade de clock são a resposta. E tudo isso depende do processador que o dispositivo utiliza.

Por isso, processadores são um componente chave para indicar qual será o desempenho (e o preço) do smartphone.

A Qualcomm é uma das empresas que lidera o mercado de processadores mobile com sua conhecida linha Snapdragon. Cada série (200, 400, 600, 800) possui tecnologias que permitem recursos específicos. Gerações diferentes podem suportar tipos diferentes de conectividade, qualidade gráfica e recursos multitarefa, por exemplo.

CADA SÉRIE (200, 400, 600, 800) POSSUI TECNOLOGIAS QUE PERMITEM RECURSOS ESPECÍFICOS

Recentemente, a Qualcomm optou por chamar o Snapdragon de plataforma, e não apenas processador. Além disso, apenas plataformas premium levarão o nome Snapdragon, enquanto processadores da série 200 serão conhecidos pelo nome Qualcomm Mobile.
E para você conhecer mais sobre o poder de processamento dessas plataformas, iremos explicar em uma série de artigos cada uma das séries da Qualcomm, começando por:

Snapdragon série 400
Os primeiros processadores Snapdragon da série 400 foram apresentados pela Qualcomm em 2013, como uma solução para smartphones com preço competitivo sem perder as características principais que competem no mercado. A série 400 foi projetada para suportar os recursos mais populares, como:
– Conexões de internet abrangentes com 4G LTE
– Displays FullHD
– Áudio multicanal em HD
– Câmera com alta taxa de megapixels

Além de estar presente em diversos modelos de smartphones de entrada, como no Motorola Moto G (2ª geração), a série Snapdragon 400 também faz parte de vestíveis com sistema Android Wear. O Huawei Watch e Motorola Moto 360 (2ª geração) são smartwatches que utilizam o Snapdragon 400 com foco em duração de bateria e conectividade, por exemplo.


Huawei Watch com Snapdragon 400

Podemos citar também o Snapdragon 410 E, projetado para atender aos requisitos das aplicações de computação. Esse processador promete desempenho, eficiência de energia, recursos multimídia, conectividade integrada e suporte a longo prazo. O 410 E é voltado para dispositivos que fazem parte da Internet das Coisas (IoT).

Vamos listar alguns modelos destaque da série 400, sendo eles Snapdragon 410, 415 e 430. Você pode conferir todos os Snapdragons já lançados pela Qualcomm neste link.

Snapdragon 410
O Snapdragon 410 foi o primeiro SoC mobile de configuração 64-bit. Esse chip foi lançado em 2013 e é encontrado nos dispositivos Samsung Galaxy A3Asus Zenfone 2 Laser e Xiaomi Redmi 2por exemplo.

A fabricação deste modelo se baseia na arquitetura de 28nm, sendo quad-core 1,2 GHz. O Snapdragon 410 possui GPU Adreno 306, Cat 4 4G LTE e suporte à câmera de até 13MP.

É IMPORTANTE LEMBRAR QUE, QUANTO MAIS NÚCLEOS E MAIOR AS VELOCIDADES DE CLOCK (GHZ), TEMOS UM INDICATIVO DE MELHOR DESEMPENHO DO DISPOSITIVO

Snapdragon 415
Anunciado no início de 2015, o Snapdragon 415 é um SoC octa-core, sendo oito núcleos ARM Cortex-A53 com GPU Adreno 405 (a mesma GPU que mais tarde introduzirá o Snapdragon 615). Este hardware permite que o dispositivo tenha uma câmera de até 13MP, grave vídeos em 1080p 30FPS e seja compatível com a tecnologia Qualcomm Quick Charge 2.0. Dessa vez, o Snapdragon 425 chega como octa-core trabalhando a 1,4 GHz.

Alcatel OneTouch Pop Up e Lenovo Vibe K5 são os smartphones que contam com essa plataforma. A fabricação desde modelo se baseia na arquitetura de 28nm.


Lenovo Vibe K5 com Snapdragon 415

Snapdragon 427
O Snapdragon 427 é uma evolução do 425 e possui alguns diferenciais em relação à outras plataformas de smartphones intermediários. Sendo um processador de 64 bit, quad-core com quatro núcleos Cortex A53, possui tencologia capaz de suportar duas câmeras de até 16MP. Ele conta com modem X9 LTE (antes X6 LTE no 425) e foi o primeiro processador da série 400 a integrar a tencologia Qualcomm TruSignal. Além disso, o SoC possui padrão Wi-Fi 802.11ac MU-MIMO.

Este modelo também é feito em arquitetura 28nm com clocks de 1,4 GHz. Este modelo faz parte dos novos SoCs que a Qualcomm apresentou no segundo semestre de 2016 (juntamente com os Snapdragon 653 e 626). Os novos Snapdragons tiveram destaque com o Modem X9 LTE (300Mbps DL; 150Mbps UL); 50% a mais de velocidade em relação aos antecessores, além de tencologia LTE Advanced Carrier Aggregation de até 2×20 MHz no downlink e no uplink.

Esses novos processadores são esperados para aparecer em smartphones em 2017.

Snapdragon 435
Também anunciado em 2016, o Snapdragon 435 é frabricado na arquitetura de 28nm, sendo um octa-core com núcleos Cortex-A53 trabalhando a 1.4GHz e GPU Adreno 505. O diferencial deste processador é a conectividade X9 LTE e tencologia Qualcomm Quick Charge 3.0, que mostrou uma diferença visível na velocidade de carregamento dos smartphones.

Essa plataforma permite que smartphone tenha câmeras de até 21MP, com suporte para Cat 7 (300 Mbps em download) e Cat 13 (150 Mbps no upload). Ainda não há muitos dispositivos com o Snapdragon 435, mas podemos citar três modelos que fazem parte de smartphones lançados em 2017 com este processador:
Huawei Enjoy 6s (anunciado em dezembro de 2016)
ZTE Blade V8 (anunciado em janeiro de 2017)
Xiaomi Redmi 4X (anunciado em março de 2017)

Porém, há diversos smartphones que possuem o Snapdragon 430. Alguns desses modelos são Lenovo K6, Xiaomi Redmi 4, Asus ZenFone 3 Laser, Nokia 6 Motorola Moto G5.

Segundo a própria Qualcomm, o Snapdragon 430 é um processador intermediário com recursos topo de linha. Com ele, dispositivos também podem ter câmera de até 21MP, maior eficiência de bateria e velocidade de sistema mais rápida.

Como vimos, a série Snapdragon 400 traz os recursos básicos de um smartphone. Presente em dispositivos de entrada e intermediários, as plataformas desta linha têm ojvetivo de oferecer ao usuário o necessário para um smartphone desse nicho. Desde modelos mais simples (quad-core) a modelos com melhor desempenho (octa-core). Neste link da Qualcomm é possível comparar todos os processadores Snapdragon.

Fonte: Adrenaline

Mesmo com o lançamento da 7º geração Intel CoreKaby Lake, e dos tão aguardados processadores Ryzen da AMD, as remessas de placas-mãe caíram no primeiro trimestre de 2017, de acordo com fontes do Digitimes. A ASUS e a Gigabyte, as duas companhias mais fortes nesse setor, deverão enviar menos de 4 milhões de unidades aos revendedores (o menor número de unidades repassadas nos últimos anos). Empresas com menor participação no mercado terão um desempenho ainda mais fraco.

A expectativa dos analistas é que as coisas melhorem somente no terceiro trimestre, já que provavelmente chegarão ao mercado os Skylake-X e Kaby Lake-X, que irá acompanhar os novos chipsets X299, além da gama de CPUs Ryzen de entrada.

Fonte: Hardware.com.br

A Intel anunciou a chegada dos seus processadores da 7ª geração para o Brasil. Com codinome “Kaby Lake”, os novos componentes já estão circulando por aí há algum tempo, mas agora chegam oficialmente ao nosso país equipando pelo menos 20 produtos que começarão a ser vendidos ao longo do primeiro semestre.

 Os processadores são baseados na arquitetura de 14nm e prometem tudo que se espera de uma nova geração de processadores, ou seja, maior desempenho e melhor eficiência energética, contando com modelos tanto para desktop quanto para mobile. Mas em todos os formatos, são destacadas as capacidades de encarar vídeos em 4K e vídeos em 360º.

O mercado de PCs continua evoluindo, e a 7ª Geração dos Processadores Intel Core agora traz os benefícios da resolução 4K, realidade virtual e tudo que é necessário para proporcionar uma experiência imersiva realmente envolvente para o usuário. Para o segmento corporativo, o aumento da segurança dos dados, com vPro e Authenticate, e a economia no consumo de energia fazem da 7ª Geração a melhor opção para empresas buscando a modernização.

Maurício Ruiz, diretor geral da Intel no Brasil

Fonte: Adrenaline

Enquanto o Snapdragon 835 não faz sua estreia no Galaxy S8, alguns designs de referência já estão sendo enviados para testes. Ou seja, um smartphone que nunca será comercializado, feito especialmente pela Qualcomm, só pra exibir a performance de seu processador. E parece que a empresa realmente tem do que se gabar, com seu novo SoC batendo todos os concorrentes nos mais variados testes de benchmark realizados pelo pessoal do Android Police.

Os aparelhos testados foram:

– Smartphone referência da Qualcomm com Android 7.1.1 | Snapdragon 835
– Google Pixel XL com Android 7.1.1 | Snapdragon 821
– OnePlus 3T com Android 7.0 | Snapdragon 821
– Galaxy S7 com Android 6.0.1 | Exynos 8890
– Galaxy S7 edge com Android 7.0 | Snapdragon 820
– Huawei P10 com Android 7.0 | Kirin 960

O Huawei P10 merece uma atenção especial porque o processador feito “em casa”, o Kirin 960, usa os mesmos núcleos Cortex-A73 e Cortex-A53 presentes no Snapdragon 835. A diferença é que a Huawei usa a versão stock, enquanto a Qualcomm fez suas próprias otimizações nos componentes. Confiram os resultados:

Geekbench 4

GFXBench

AnTuTu

3DMark

PCMark

*O OnePlus 3T aparece sem resultados porque o PCMark não conseguiu concluir o teste no smartphone sem travar.

Benchmarks de navegadores:

O Snapdragon 835, como é visível, se sai bem nos testes, mas nada fora do esperado. Um novo processador high-end não faz muito mais do que a obrigação em vencer seus antecessores, e a margem de vitória não é nada digno de alarde, especialmente no teste single-core do Geekbench. Mas, como sempre, por mais que os benchmarks sejam importantes, o teste de uso, em mãos, com aparelhos finalizados, que vão realmente para as prateleiras, é o mais indispensável e só o teremos depois de abril.

Fonte: Android Police

A ASUS Republic of Gaming anunciou o desktop Strix GD30, computador configurado para executar games com a melhor performance. O design do desktop foi inspirado na saga “Star Wars”, sendo que seu painel frontal pode ser “destacado” e rearrajnado em seus estilos diferentes.

Já na lateral, o GD30 possui acabamento transparente para mostrar o hardware dentro do gabinete. Além de seu design customizado, o gabinete garante que não haja interferência eletromagnética.

Os componentes do PC contam com a tecnologia Aura RGB, uq e permite ao usuário customizar as luzes de LED de acordo com seu gosto. O Strix GD30 possui espaço para seis HDDs ou SSDs de 3,5″ e dois SSDs de 2,5″. Ele também pode comportar sistema de liquid cooling com radiador dual-fan.

O desktop possui diversas opções de hardware, sendo a especificação topo de linha com processador Intel Core de 7º geração i7-7700, 32GB de memória DDR4 e placa de vídeo Nvidia GeForce GTX 1080 com 8GB de memória.

Em questão de conexão, o Strix GD30 oferece quatro portas USB 2.0 e sete portas USB 3.1 Gen 1. Uma das portas USB 3.1 é Tipo-C reversível, que oferece 15W para carregar dispositivos de maneira mais rápida. Há também leitor de cartão de memória e jacks para headphones e microfones no topo do painel.


Via: Republic of Gamers

Temos um novo recorde pessoal. O overclocker intitulado Kingpin, conseguiu elevar o clock de uma GTX 1080 Ti Founders Edition da EVGA para 3.024 Mhz, graças ao uso de nitrogénio líquido e algumas modificações no PCB da nova placa da NVIDIA. Com esse feito Kingpin bate o recorde mundial de GPUs, que até então estava com os 3.012 Mhz, alcançado pelo overclock Vivi com a GTX 1060 HOF da Galax no ano passado.

Fonte: Hardware.com.br