ÚLTIMOS ARTIGOS

A produção mundial de memória NAND Flash deverá melhorar no 1º trimestre de 2018, com a previsão de queda nos preços já nos primeiros meses do ano que vem. As taxas de rendimento de produção nas fábricas de 3D NAND estão aumentando, o que deve compensar os escassos estoques dos produtos do segmento.

Além disso, está ocorrendo um ciclo global positivo na demanda e lucratividade das memórias DRAM, o que vai permitir que o mercado mantenha um desenvolvimento estável a curto prazo, de acordo com o Digi Times. Se a demanda por produtos do tipo também se manter estável, o preço de memórias RAM também deve cair.

Ainda segundo a notícia, as novas tendências do mercado vão encorajar a crescimento de empresas menores que embalam e testam a qualidade de produtos de memória. Um exemplo é a Orient Semiconductor Electronics, que espera que a sua taxa de utilização da capacidade produtiva vá crescer de maneira significativa no 1º semestre de 2018.

Por outro lado, empresas maiores como a Powertech Technology e ChipMOS não se beneficiarão muito da maior oferta de NAND flash. E elas terão que achar alternativas de negócios para compensar a perda da Micron, que vai passar a fazer seus testes em Taichung, em Taiwan.

Via: Adrenaline

Nvidia anunciou sua placa de vídeo de próxima geração chamada Titan V, modelo que conta com GPU da arquitetura Volta. A placa possui memória HBM2 12GB e já pode ser adquirida pelo preço sugerido de US$ 2.999.

A nova Titan V conta com 21,1 bilhões de transistores , 110 TFLOPS e “eficiência de energia extrema”, de acordo com a Nvidia. A empresa declarou: “nossa intenção para a Volta é forçar os limites de alta performance de computação e IA”.

A Titan V possui GPU GV100, sendo a primeira placa modelo Titan a contar com tecnologia de memória HBM2. A GPU GV100 tem 5120 núcleos CUDA e 320 TMUs, a mesma quantidade de CUDA presente no modelo Tesla V100, da Nvidia.

Outras especificações da nova placa incluem 640 Tensor Cores (para aplicações em deep learning), 1200MHz de clock base e 1455MHz de clock boost. Sua alimentação fica por parte do conector de energia PCIe 8+6 pin para seus 250W.

A Titan V possui ainda interface de memória de 3072-bit, 1,7Gbps para oferecer banda de memória de 652,8GB/seg.

Já é possível comprar a Titan V em sua página oficial da Nvidia. Acesse este link.

Via: Adrenaline

Usar um cooler de CPU na placa de vídeo não é uma coisa nova, mas colocar um cooler gigantesco na GPU é uma gabiarra bem ousada. O canal DIY Perks otimizou a refrigeração da GPU da placa de vídeo GTX 980 Ti da EVGA, com TDP de 50W, usando um cooler da Noctua que parece ser o modelo NH-D15.

Com a montagem, o hardware conseguiu chegar à temperaturas até 22ºC menores do que a refrigeração padrão. E mesmo no modo “silencioso”, a placa de vídeo com o cooler gigante ainda conseguiu se manter numa temperatura abaixo do normal.

Para isso, a placa de vídeo foi desmontada e o cooler de CPU foi encaixado no die da placa com auxílio de um bracket sob medida. Confira o vídeo e as imagens com os resultados abaixo:

Via: Adrenaline

Busca pipoca que a “treta” é das grandes. O site alemão Heise.de percebeu uma singela mudança na tabela de especificações da Radeon RX 560 no site oficial da AMD, com uma alteração bastante negativa: surgiu uma versão com apenas 14 Compute Units ao invés das 16 presentes originalmente. Com esse corte a quantidade de processadores Stream também passou a variar, com um total de 1024 na versão com todas as 16 CUs e 896 nessa versão reduzida da GPU.

Esse não é o primeiro modelo com essa configuração, sendo que a Radeon RX 560D já trazia esses 896 processadores stream ativados. Essa é a mesma configuração da RX 460, outra placa que também utilizava o chip Polaris 11 parcialmente habilitado.

De acordo com a AMD, em um comunicado ao Tom’s Hardware, existem duas versões da RX 560, sendo uma com 14 CUs para modelos com menor consumo de energia e outra versão com o chip totalmente ativado para que as fabricantes consigam criar produtos com diferentes perfis.

Duas versões de um mesmo chip não são uma novidade. A Nvidia possui um line-up com duas configurações da GTX 1060, sendo que a versão de 3GB possui menos núcleos CUDA que a versão de 6GB. Mesmo não sendo o ideal, é bastante claro qual modelo é qual no momento da compra já que essa especificação costuma ser exibida na caixa de forma bastante visível.

A dúvida agora é o quanto as fabricantes serão claras ao exibir quais as característica da RX 560 em uso, já que o número de núcleos de processamento não costuma ganhar destaque na caixa, e da onde a AMD achou que seria uma boa ideia ter dois produtos diferentes com o mesmo nome.

Via: Adrenaline

De acordo com um currículo vazado no LinkedIn e publicado no Reddit, a AMD está trabalhando em uma interface para memórias GDDR6, o que indica que a companhia deve adotar a tecnologia em sua próxima geração de placas de vídeo, a Navi.

WccFTech disse ter entrado em contato com fontes da notícia que confirmaram o desenvolvimento e uso de memórias GDDR6.

Onde a tecnologia será usada ainda é um mistério, já que o site também afirma que a AMD vai continuar usando HBM2 (ou HBM3) em suas placas de vídeo de alto desempenho. Uma das possibilidades é que a AMD utilize as memórias em GPUS intermediárias.

As memórias GDDR6 chegam no ano que vem, com a Samsung, uma das principais fabricantes do mercado, mostrando a tecnologia na CES 2018, que deve ter 16Gb de velocidade.

Além da companhia sul-coreana, a Micron e a SK Hynix também já falaram que estão trabalhando em memórias GDDR6 e que a tecnologia chega em 2018 equipando placas de vídeo de alto desempenho.

Via: Adrenaline

HDMI Forum anunciou as especificações do padrão HDMI versão 2.1, que chega com suporte a uma maior quantidade de resoluções de vídeo e de taxas de atualização.

Isso inclui o suporte a resoluções até 10K, que num monitor de proporção 21:9 seria equivalente a 10240×4320 pixels. O novo padrão também inclui configurações como 8K (7680 × 4320) a 60 quadros por segundo ou 4K (3840 × 2160) a 120 fps.

O HDMI 2.1 também suporta formatos de vídeo com HDR Dinâmico, proporcionando melhor precisão nos valores de profundidade, detalhes, brilho e contraste, assim como maior gama de cores. A tecnologia analisa esses detalhes a cada cena para melhor otimização, às vezes fazendo-o a cada frame.

O novo cabo se chama “Ultra High Speed HDMI Cable“, que suporta largura de banda de até 48Gbps. Isso garante desempenho suficiente para entregar vídeos de resolução 8K com HDR e sem qualquer compressão.

De acordo com a organização, o novo padrão possui característica de interferência eletro-magnética (EMI) extremamente baixa. Isso deve reduzir a interferência com dispositivos sem fio próximos. A nova especificação é retrocompatível com versões anteriores do HDMI.

“A missão do HDMI Forum é desenvolver especificações que atendam às necessidades do mercado, às demandas por alto desempenho e permitir oportunidades de produtos futuras”.
– Robert Blanchard, da Sony Electronics e presidente do HDMI Forum.

A especificação do HDMI 2.1 será publicada durante o período entre o 1º e o 3º trimestre de 2018. As companhias que utilizam o padrão serão notificadas quando isto acontecer.

Via: Adrenaline

Surgiram dados nos logs de atualização do AIDA64 sobre modelos do Intel Core i9 ainda não anunciados, o que incluem o Core i9-8000H e o Core i9-8950HK. A nomenclatura H e HK é utilizada pela empresa para demarcar versões de seus processadores para notebooks e modelos compactos, o que mostra que está a caminho dois modelos high-end de CPUs para os laptops.

Enquanto alguns recursos da linha Intel Extreme X não tem tanta importância em notebooks, como 44 linhas PCIe, algumas das novidades nesses processadores devem incluir a configuração de 6 núcleos e 12 threads. Como acontece em outros modelos HK, o 8950HK deve trazer capacidade de overclock, então espere por esse processador em notebooks “parrudos” e com sistemas avançados de resfriamento, além de combinados com chips gráficos de alta performance e preços… bem, condizentes com todo esse hardware, digamos assim.

Via: Adrenaline

A ASUS lançou oficialmente os mini computadores ASUSPRO E520 ASUSPRO E420. Os dispositivos chegam com duas baias para receber HDDs de 1TB 2,5″ ou SSDs M.2 de 512GB. Os modelos fazem parte do programa Corporate Stable Model (CSM) e cada um inclui um Control Center, uma suite de software de gestão de TI de nível de servidor com capacidade de monitoramento.

Ambos possuem conectividade com internet sem fio padrão Wi-Fi 802.11ac e Bluetooth. Confira abaixo as especificações:

ASUS E420


ASUS E520


Fonte: Adrenaline