ÚLTIMOS ARTIGOS

O novo beta 11 do software de monitoramento MSI Afterburner 4.4.0 traz uma função bastante aguardada para observar o progresso da performance do hardware em tempo real. Agora é possível colocar um gráfico na tela do jogo, acompanhando a flutuação dos fps, por exemplo. Mas não só isso, qualquer recurso monitorado pelo Afterburner pode ser mostrado na forma de gráfico durante o gameplay, de acordo com as configurações do usuário.

A empresa também informou que está trabalhando com a Ubisoft e com a EA para que seu software não seja mais barrado por sistemas anti-cheat de jogos como Battlefield 1, por exemplo, podendo usar o monitoramento em games competitivos extremamente populares das empresas.

A opção para exibir os gráficos foi colocada na janela de monitoramento do programa (“monitoring”) e pode ser escolhida na área do layout do OSD (On-Screen Display). O usuário pode escolher somente texto, somente gráfico ou texto+gráfico para ter as informações do que está sendo monitorado.

O MSI Afterburner 4.4.0 é um software de monitoramento que acompanha em tempo real informações enquanto você joga, como o uso do processador, da GPU, das memórias, etc. Ele também exibe a contagem dos frames por segundo que seu hardware está mostrando e a temperatura dos componentes. O BETA 11 do programa pode ser baixado neste link.

Fonte: Guru 3D

intel-amd-cpu-gpu-novo-rumor_chamada

Um vazamento de registros de amostras de engenharia de processadores mostrou um novo modelo de processador da geração Kaby Lake da Intelque pode muito bem acompanhar uma GPU AMD no final das contas, mesmo depois da Intel negar oficialmente que isso aconteceria.

A imagem abaixo do Sisoft mostra um componente assinalado como Intel HD Graphics Gen9; 694C:C0. Enquanto o HD Graphics fala por si só, o código 694C:0 é a nomenclatura usada por GPUs AMD.

A especulação do Fudzilla é que o componente vai contar com as duas GPUs, tanto da Intel como da AMD. O que resta saber é se vai ser uma solução integrada entre as duas tecnologias ou teremos uma plataforma com os componentes separados, o que seria menos provável e até mais surpreendente ainda. E toda essa novidade pode estar acontecendo por causa da Apple, de acordo ainda com outros rumores.

Claro que o aparecimento de uma nomenclatura numa amostra de engenharia não confirmada não nos prova nada ainda, principalmente com a Intel insistindo que não é verdade. Devemos ter a confirmação se o processador existe ou não até o fim deste ano.

Fonte: Fudzilla

As duas últimas gerações de processadores Intel, Skylake (6ª geração) e Kaby Lake (7ª geração) estão com uma falha na tecnologia Hyper-threading, responsável por dividir um núcleo físico em dois lógicos, com o intuito de melhorar o desempenho. O problema que foi encontrado pelo desenvolvedor do sistema Debian, Henrique de Moraes Holschu. A falha pode gerar um comportamento imprevisível,  que pode levar a erros e perda de dados. Além do Debian, que é baseado em Linux, sistemas como Windows e MacOS também podem passar pelo problema.

A grande maioria dos usuários desses processadores não devem ser afetado com a falha, já que o problema acontece um cenário bem específico. Usuários que utilizam esses chips juntamente com o compilador OCaml, são os que podem passar pelos problemas.

Enquanto ainda não há correção para o problema, já que depende de uma atualização de microcódigo dos processadores Intel e também uma atualização de BIOS/UEFI, o relatório oficial sobre a falha, sugere desabilitar temporariamente o Hyper-threading.

Fonte: Hardware.com.br

A NVIDIA que anunciou em maio a monstruosa Tesla V100 no formato SXM2, equipada com 5.120 CUDA Cores e que alcança 14 TFlops de processamento em precisão simples (FP32) e 7 TFlops em FP64 ganhou agora uma versão PCIe 3.0. A placa que é voltada para aplicações profissionais é baseada na arquitetura Volta, processo de fabricação FinFET de 12nm da TSMC e 16 GB de memória HBM2 com clock de 1.75 Gb/s.

Tesla V100 do formato SXM2

A GPU que embala essa placa poderosa que pode ser utilizada nos avanços de Deep Learning é a GV100, que além dos seus 5.120 CUDA Cores, conta com 21 bilhões de transistores, 4096 bits, largura de banda da memória 900 GB/s e cache L2 de 6 MB. A versão PCIe conta com algumas diferenças em relação ao modelo SXM2. O boost clock foi reduzido de 1455 MHz para 1370 MHz, consequentemente o TDP também é mais baixo, 300W no modelo SXM2 e 250W no modelo PCIe.

Preço e data de disponibilidade:

A Tesla V100 PCIe será lançada ainda este ano. A previsão é que a placa custe £10,000, aproximadamente R$ 37.000.

Fonte: hardware.com.br

O teclado mecânico Masterksy Pro L da Cooler Master ganhou uma edição especial para os fãs da NVIDIA, marca líder no segmento de GPUs. Além da iluminação com a cor que rege a marca das placas GeForce, o teclado conta com alguns detalhes nas teclas que fazem menção a companhia, como o logo GeForce GTX estampado na barra de espaço.

Masterksy Pro L NVIDIA Edition conta switches Cherry MX red, que resistem a 50 milhões de cliques. Os LEDs podem ser controlados diretamente no teclado, sem a necessidade de um software extra. Ainda há a capacidade de salvar perfis de usuário no próprio teclado. Pesando 1,1 Kg o cabo USB 2.0 que acompanha o produto tem 1,5m.

Preço e data de disponibilidade:

O Masterksy Pro L NVIDIA Edition começará a ser vendido na Europa no final de julho. O preço sugerido é de 130 euros.

Fonte: hardware.com.br

A MSI revelou mais detalhes da poderosa GTX 1080 Ti Lightning Z. A placa que conta com sistema de resfriamento baseado em três fans Torx 2.0, traz LEDs customizáveis via software e 11 GB de memória GDDR5X com interface de 352-bits, operando 11.124 MHz.

O sistema de energia é baseado em 14+3 fases, a placa conta com backplate, certificação militar MIL-STD-810G que atesta a confiabilidade e qualidade da construção. A GPU tem três modos distintos: Silent, Gaming e Lightinhg. No modo Lightinhg, em que o boost clock é mais alto, a GTX 1080 Ti Lightning Z opera com clock base de 1480 Mhz e boost de 1721 MHz.

As saídas de vídeo incluem 2x DisplayPort 1.4, 2x HDMI 2.0b e 1x DVI.

Preço e data de disponibilidade:

GTX 1080 Ti Lightning Z será lançada em julho. O preço não foi revelado

Fonte: hardware.com.br

A AMD anunciou a placa de vídeo Radeon Instinct MI25 baseada em arquitetura Vega 10, que oferece memória HMB2 de 16GB. Essa GPU Vega conta com 64 computer units e 4096 stream processors.

Como a placa é destinada à aplicações profissionais de alta demanda, a memória HBM2 de 16GB oferece 484GB/s de largura de banda. O hardware também promete desempenho de 12.3 TFLOPs de performance computacional FP32 e 24.6 TFLOPs de performance FP16.

A Radeon Instinct MI25 é dual-slot, medindo 10,5″ com TDP de 300W. O hardware será lançado juntamente com outros produtos da família Radeon Instinct no terceiro trimestre de de 2017. Os preços ainda não foram divulgados.

“Pretendemos enviar produtos Radeon Instinct aos nossos parceiros de tecnologia (incluindo Boxx, Colfax, Exxact Corporation, Gigabyte, Inventec e Supermicro, entre outros) para abastecer suas soluções HPC e deep learning a partir do 3º trimestre.”

Especificações Radeon Instinct MI25:
– Vega 10 Architecture
– 4096 Stream Processors
– 24.6 TFLOPS Half Precision (FP16)
– 12.3 TFLOPS Single Precision (FP32)
– 768 GFLOPS Double Precision (FP64)
– 16GB HBM2 Memory
– 484GB/sec Memory Bandwidth
– 300W TDP
– PCIe Form Factor
– Full Height Dual Slot
– Passive Cooling


Outros modelos:
– Radeon Instinct MI8: aproveitando o alto desempenho e a eficiência energética da arquitetura Fiji, a placa é feita em formato compacto e oferece 8.2 TFLOPS de FP16 | FP32. Com potência inferior a 175W, o componente tem memória HBM de 4GB em uma interface de memória de 512 bits. A MI8 é indicada para aplicações de machine learning e HPC.

– Radeon Instinct MI6: baseada na arquitetura Polaris, a placa oferece desempenho de 5.7 TFLOPS de FP16 FP32. O hardware tem potência de 150W e 16GB de memória GDDR5 em interface 256- bit. A MI6 é indicada para HPC, machine learning e edge-training.

A placa de vídeo Instinct MI25 é concorrente da recém anunciada Nvidia Tesla V100 PCIe no segmento de aplicações profissionais. Abaixo, uma comparação de desempenho:

Comparação AMD Radeon Instinct x Nvidia Volta V100
| Radeon Instinct MI25: FP16 @ 24.6 TFLOPs
| NVIDIA Volta V100 PCIe: FP16 @ 28 TFLOPs

| Radeon Instinct MI25: FP32 @ 12.3 TFLOPs
| NVIDIA Volta V100 PCIe: FP32 @ 14 TFLOPs

Via: Guru 3D

 

A Gigabyte anunciou a placa-mãe MZ30-AR0 single-socket para processadores de alto desempenho AMD Epyc destinados à servidores e workstation. A placa é feita em formato E-ATX com um único soquete SP3r2 que pode receber a linha Epyc 7000 que foi lançada ontem.


Outras características da placa incluem dois conectores EPS 8-pin, 16 slots DIMM DRR4 com suporte para até 1024GB em octa-channel via memórias NVDIMM. Por se tratar de uma placa-mãe para workstation, não há portas USB 3.1 ou recursos de áudio onboard. Abaixo, as especificações da MZ30-AR0 da Gigabyte:

A linha dos processadores Epyc 7000 possui chips de oito até 32 núcleos Zen de alto desempenho e suporte para até 32 DIMMS de DDR4 em 8 canais de memória (até 4TB de capacidade de memória total). Os processadores de alto desempenho também possuem suporte para E/S integrada de alta velocidade, com 128 pistas PCIe 3.