Pesquisa aponta que em 2030 as formas tradicionais de pagamento não serão...

Pesquisa aponta que em 2030 as formas tradicionais de pagamento não serão mais necessárias

Compartilhar

O pagamento mobile como um tipo de mercado que continuará crescendo, inclusive o Samsung Pay, será o primeiro dos serviços mais badalados da atualidade (Apple Pay, Samsung Pay e Android Pay) em relação a essa forma de pagamento a chegar no Brasil. Porém há uma lista imensa de empasses a serem superados para que formas de pagamento numa integração entre o serviço e o smartphone por exemplo possa se tornar maior. Além do número de estabelecimentos e serviços compatíveis também é necessário que as questões de segurança blindem o usuário.

foto.jpg.500x289.auto

Um pesquisa online conduzida pela IEEE (The Institute of Electrical and Electronics Engineers) baseada na opinião de mais de 1,9 mil entusiastas de tecnologia e segurança digital mostra que há um nível de expectativa bem otimista em relação ao futuro dessa nova forma de pagamento. 70% dos entrevistados acrediam que em 2030 as formas de pagamento mobile serão seguros o suficiente para substituir as formas tradicionais, como dinheiro físico e cartões de crédito.

A questão da segurança é o principal pilar para que o pagamento mobile se confirme. Entre os entrevistados 46% disseram que estão preocupados se as informações bancárias poderiam ser roubadas. 33% estão preocupados com a questão dos pagamentos não autorizados. feitos via mobile. 13% estão preocupados em acidentalmente realizar um pagamento através de NFC ou QR Code.

Em 2020 a Visa prevê que um em cada cinco consumidores irão realizar compras via pagamento mobile

Outro ponto interessante é que 26% dos entrevistados que o armazenamento em nuvem é o método menos preferido para o armazenamento de informações, 49% preferem o computador pessoal como a opção principal.

Em uma escala de 1 a 5 (1 mais arriscado e 5 menos arriscado) os entrevistados elegeram as seguintes plataformas como mais perigosas:

  • 72% para online Banking
  • 53% para sincronização na nuvem
  • 60% para informações bancárias e financiamento imobiliário.

Além dos tokens e autenticação via impressão digital novas formas de segurança estão sendo implantadas, como por exemplo a iniciativa da MasterCard de implantar uma selfie como forma de efetuar os pagamentos. No ato da compra não é necessário digitar uma senha, basta apenas tirar uma foto com a câmera do celular que está integrado com o aplicativo da operadora.

Fonte(s): Mobile Commerce Press