Netflix conclui migração para Amazon Web Services

Netflix conclui migração para Amazon Web Services

Compartilhar

A Netflix anunciou nesta semana em seu blog oficial que concluiu a migração para Amazon Web Services em janeiro de 2016.

Netflix conclui migração para Amazon Web Services

Netflix conclui migração para Amazon Web Services

A jornada da Netflix para sistemas em cloud começou em agosto de 2008, quando a empresa teve um problema grave de corrupção de sua base de dados.

Isto acabou impedindo o envio de DVDs para seus assinantes por três dias.

O problema fez com que a Netflix percebesse que devia se distanciar de pontos de falhas escalonados verticalmente, tais como bases de dados relacionais em seu datacenter, e ir em direção a sistemas distribuídos na nuvem, mais confiáveis e escalonáveis horizontalmente.

Para isso a empresa escolheu a Amazon Web Services (AWS) como provedor de nuvem porque havia maior possibilidade de expansão e um conjunto mais amplo de serviços e recursos.

A maioria dos sistemas da Netflix, incluindo todos os serviços voltados aos clientes, foram migrados para a nuvem antes de 2015. No entanto, a empresa esperou até que tivesse um plano seguro e sustentável para migrar para a nuvem a sua infraestrutura de cobrança, bem como todos os aspectos de gerenciamento de dados de clientes e funcionários.

Agora a empresa confirmou que, no começo de janeiro de 2016, após sete anos de muito trabalho, a migração para Amazon Web Services foi finalmente concluída e o último datacenter utilizado por seu serviço de transmissão já foi fechado.

A migração para a nuvem trouxe vários benefícios para a Netflix. O serviço agora tem oito vezes mais assinantes do que em 2008, e eles são muito mais ativos, com a visualização crescendo em três ordens de grandeza em oito anos:

netflix-watching_2
A flexibilidade da nuvem permite ao Netflix adicionar milhares de servidores virtuais e petabytes de armazenamento em questão de minutos, o que possibilita a expansão do serviço. Em 6 de janeiro de 2016, a Netflix expandiu o serviço para mais de 130 países, tornando-se realmente uma rede mundial de TV pela Internet.

A possibilidade de utilizar múltiplas regiões da nuvem AWS, espalhadas pelo mundo inteiro, permite que a empresa realize mudanças e expanda sua capacidade mundial de infraestrutura, criando uma experiência de transmissão melhor para os assinantes da Netflix, onde quer que eles estejam.

O comunicado da Netflix com mais dados técnicos pode ser visto na íntegra aqui.

Fonte: Baboo