Mais de 2 milhões de pessoas caem em golpe via WhatsApp que...

Mais de 2 milhões de pessoas caem em golpe via WhatsApp que explora a paixão do brasileiro pelo futebol

Compartilhar

Os amantes de futebol devem ficar atentos: um novo modelo de ciberataque prometendo personalizar o WhatsApp com as cores dos mais populares clubes de futebol brasileiros é a nova armadilha de hackers para enganar os usuários. De acordo com a PSafe, empresa brasileira líder em segurança e performance mobile, o golpe já afetou mais de 2 milhões de pessoas.

Até o momento, a armadilha já afetou mais de 400 mil torcedores rubro-negros; 382 mil torcedores do palmeiras e 358 mil corintianos. Ao todo, torcedores de 15 clubes de diferentes estados brasileiros acabaram vítimas do ataque.

O golpe consiste no recebimento de mensagens de contatos conhecidos, ou de algum grupo do WhatsApp, convidando o usuário a clicar no anúncio da promoção para poder personalizar a rede social com o tema de seu time de coração.

Ao clicar no link relacionado ao seu clube, a vítima é direcionada para uma página na qual deve compartilhar o suposto serviço para oito amigos ou dez grupos via WhatsApp e também é induzido a preencher seus dados em serviço de SMS pago para, só então, poder baixar o falso pacote de personalização. Com essa iniciativa, o cibercriminoso consegue disseminar com maior velocidade o seu golpe, atingindo um grande número de vítimas.

Gerente de Segurança da PSafe, Emilio Simoni explica que o golpe utiliza duas paixões do brasileiro – o futebol e o WhatsApp – para se disseminar. “Ao explorar temas muito populares, como o esporte, e utilizar a velocidade de redes sociais, como o WhatsApp, os hackers conseguem gerar golpes de alto impacto. É preciso ficar atento ao receber este tipo de conteúdo suspeito de amigos e grupos do qual faz parte no WhatsApp”, alerta.

Outra recomendação importante para os usuários de smartphone é contar sempre com um antivírus com a função ‘antiphishing’ instalada, que é a função que checa os links e endereços de websites para averiguar se é malicioso ou não.

Fonte: Hardware.com.br