GTX 1080 e GTX 1070 suportam HDR e monitores com taxas de...

GTX 1080 e GTX 1070 suportam HDR e monitores com taxas de atualização de até 240Hz

Compartilhar

O grande anúncio dessa semana sem sombra de dúvidas foram as duas primeiras GeForce baseadas na arquitetura Pascal: GTX 1080 e GTX 1070. A primeira é tratada como a nova “rainha das placas de vídeo”, e traz consigo o novo processo de fabricação FINFET baseado em 16nm (garantindo 10% mais eficiência energética que a GTX 980, baseada na arquitetura Maxwell), 8 GB de memória GDDR5X, clock base de 1.607 MHz, podendo chegar a 1.733 MHz. Já  a sua irmã menor a GTX 1070, embora não tenha sido revelada todas as informações, também conta com o mesmo processo de fabricação e 8 GB de memória GDDR5X.

Em relação à performance a NVIDIA foi bem audaciosa em afirmar que a GTX 1080 oferece desempenho superior a um SLI de GTX 980, e o dobro de performance em relação a Titan X. Já a GTX 1070 também consegue superar Titan X. A GTX 1080 chegará ao mercado no dia 27 de maio, enquanto a GTX 1070 será lançada no dia 10 d junho. Ambas as placas terão duas versões, uma espécie de dois projetos de referência, sendo que a “Founders Edition” será vendida diretamente pelo site da NVIDIA. Confira abaixo o preço de ambas as versões:

NVIDIA GTX 1080US$ 599 / “Founders Edition” – US$ 699

NVIDIA GTX 1070 – US$ 379 / “Founders Edition” – US$ 449

Além de todo o investimento que a NVIDIA fez para conseguir alcançar um balanceamento entre desempenho e eficiência, proporcionada pela arquitetura Pascal, outros pontos importantes cruciais que irão mudar a experiência in game do usuário devem ser mencionados.

Esses pontos estão ligados as tecnologias de exibição, proporcionada pelo suporte ao DisplayPort 1.4, e ao HDMI 2.0b. Isso permite que as GPUs Pascal suportem monitores 1080p e de 1440p com taxas de atualização de até 240 Hz, monitores 144op ultra-wide com até 190 Hz, e monitores 4K de até 120 Hz.

Essas novas placas também contam com o suporte ao HDR (High Dynamic Range), permitindo que o brilho e as cores sejam renderizadas de uma forma mais eficiente.  Esse suporte ao HDR é originado da compatibilidade com o HDMI 2.0b.

Com essa possibilidade os fabricantes de monitores podem enveredar por uma nova gama de opções unindo altas taxas de atualização com o HDR que eleva a nitidez das imagens.

Já com o DisplayPort 1.4 as novas GPUs são blindadas com a tecnologia DSC (Display Stream Compression), permitindo uma taxa de compressão 3: 1 sem perda de qualidade. E vale lembrar que o DisplayPort 1.4 também oferece suporte a resolução 8K a 60Hz, o que abre ainda mais o escopo de possibilidades.

Em 2016 teremos uma guerra bastante acirrada em termos de processamento visual já que além das GPUs Pascal as tão aguardas Polaris da AMD, também terão suporte ao HDR, HDMI 2.0b e ao novo DisplayPort.

Essa briga vai ser boa..

Fonte: Hardware.com.br