AMD revela novos detalhes sobre a arquitetura Zen

AMD revela novos detalhes sobre a arquitetura Zen

Compartilhar

Em quase todas as ocasiões quando os processadores da AMD são comparados com os daIntel, o fator IPC, instruções por ciclo de clock, é sempre mencionado como um item que favorece a Intel. E depois de fracassos inúmeros fracassos recentes no mercado de processadores a AMD sabia que era imprescindível ter um produto que realmente faça frente com seu concorrente.

E a cada nova informação relacionada aos Zen, parece que realmente a AMD encontrou esse produto que pode fazer a companhia ser mais forte em diversos mercados, do dektop aos servidores. Parte dessa boa sensação que o Zen vem passando está atrelado a sua concepção, uma arquitetura que realmente foi desenhada do zero, com uma série de novidades que mudam radicalmente o que a gigante de Sunnavale tinha feito até então, como a adoção do processo de fabricação de 14nm FinFET, que garante uma maior eficiência energética, item que a AMD vem a anos tentando encontrar uma direção mais competitiva.

No dia 17 de agosto a AMD revelou durante um evento em São Francisco diversas informações sobre essa nova arquitetura, como por exemplo que a CPU mais poderosa para desktop, codinome Summit Ridge, terá 8 núcleos, 16 threads, graças a adoção do SMT (Simultaneous multithreading), e TDP de 95W. Haverá também um novo socket, o AM4, que servirá tanto para as CPUs, quanto para APUs, com novas tecnologias como o suporte para memórias DDR4. Mediante a essas revelações fizemos aqui no Hardware.com.br, um Top5 perguntas e respostas importantes sobre os processadores Zen.

Além desse encontro em São Francisco, a AMD havia marcado um outro evento que revelaria de forma mais aprofundada como que esses processadores conseguem por exemplo 40% a mais de IPC, que a geração Excavator.

Essas novas revelações aconteceram ontem durante a Hot Chips em 2016, na Califórnia. Essa série de novos relatos juntamente com os anteriores mostram que a AMD apostou em diversas itens essenciais numa boa arquitetura de processadores; eficiência energética, IPC, melhorias no Cache, e um bom conjunto de instruções.

São quatro unidades de execução de números inteiros (ULA), 2 unidades de Load/Store, e duas unidades de ponto flutuante, cache L2 de 512K, cache L3 de alta capacidade compartilhado, 2 threads por núcleo.

Já o SMT (Simultaneos multitrheading), garante ao Zen dois Threads por núcleos, similar ao que acontece com o Hyper Threading, da Intel, e que aliado ao processo de fabricação de 14nm permite mais desempenho sem comprometer a eficiência energética. Essa mudança no processo de fabricação é um belo salto em relação aos produtos da AMD, que atualmente estão em 32nm em relação as CPUs e 28nm nas APUs.

O cache também sofreu diversas mudanças em sua estrutura, o L2 conta 512KB dedicado e que oferece duas vezes mais largura de banda em relação a arquitetura atual da AMD. Já o cache L3 é de 8 MB e é compartilhado entre 4 núcleos, num esquema chamado CPU-Complex, que é uma combinação de quatro núcleos independentes, que compartilham somente o cache. No caso do Summit Ridge, modelo com 8 núcleos, há duas unidades CPU-Complex. Em termos de desempenho a AMD diz que o cache L3 oferece cinco vezes mais largura de banda que a geração anterior.

Em relação ao conjunto de instruções, o Zen conta com duas exclusivas, CLzero, PTE Coalescing, que melhoram o trabalho da memória cache, além de AVX, AVX2, BMI1, BMI2, AES, RDRAND, SMEP, SHA1 / SHA256, ADX, CFLUSHopt, XSAVEC / XSAVES / XRSTORS e SMAP.

Em relação ao desempenho a única prova oficial que temos até então, são os testes divulgados pela própria AMD no evento de São Francisco, onde o processador Summit Ridge (8 núcleos e 16 Threads) foi colocao a prova conta o Intel Core i7- i7-6900K (8 núcleos e 16 Threads), em um teste de renderização no Blender, o processador da AMD conseguiu ser mais rápido.

Por enquanto os clocks de operação do processador Summit Ridge, ainda é uma incognita, embora se comentou que no teste tanto o modelo da Intel como o daAMD, estavam rodando a 3 Ghz, o que pode ser o indicativo da faixa de clock que o Zen se encaixará.

A expectativa é que até o final de 2016 o Summit Ridge chegue ao mercado, porém de forma modesta, as vendas em grande escala começarão no ínicio de 2017.

Fonte: hardware.com.br