A depressão continua: mercado de PCs apresenta queda no terceiro trimestre de...

A depressão continua: mercado de PCs apresenta queda no terceiro trimestre de 2016

Compartilhar

Pelo oitavo trimestre consecutivo o mercado de PCs não apresentou bons resultados em relação ao seus números de venda, dados preliminares do Gartner mostram que no terceiro trimestre de 2016 as remessas caíram 5,7%. O total de PCs vendidos foi 68,9 milhões de unidades, no mesmo período do ano passado as vendas foram de 79 milhões.

De acordo com Mikako Kitagawa, analista do Garner há dois motivos fundamentais que vem impactando negativamente o mercado de PCs: o primeiro é que os consumidores estão permanecendo mais tempo com o mesmo computador, além da própria falta de desinteresse do consumidor em relação a esse dispositivo. Kitagawa diz que a maioria dos usuários utilizam três tipos de dispositivos em mercado mais consolidados, e entre esses três dispositivos o PC não figura como prioridade, e por isso não há uma necessidade tão grande em relação em adquirir novos computadores.

Em relação aos fabricantes a Lenovo continua na liderança (posto que ocupa desde 2013), com 20.9% de quota de mercado, porém é importante ressaltar o crescimento da HP, que vem encostando na companhia chinesa. Entre o Top 5 dos fabricantes a Acer e Apple foram as que apresentaram as maiores quedas, 14.1% e 13.4%, respectivamente.

O Garner aponta que o mercado de PCs voltará a crescer somente em 2017, e esse crescimento não será muito expressivo, apenas 0,4%, já em 2018 a previsão é mais otimista, já que o crescimento será em torno de 3%. 

Porém esse aumento nas vendas não será impulsionado por desktops ou notebooks mais básicos, e sim por dispositivos da categoria premium. Enquanto a venda dos desktops e notebooks básicos passarão de 216 milhões em 2016 para 199 milhões em 2018, as vendas de aparelhos premium, híbridos como o Surface Pro, passarão de 49 milhões de unidades em 2016 para 75 milhões em 2018.

Em 2020 (que é o ano que os analistas sempre cravam como o boom da internet de todas as coisas, com uma grande variedade de novos dispositivos mobile chegando ao mercado), Ranjit Atwal, diretor de pesquisa do Gartner, diz menos de 30 milhões de desktops serão vendidos, uma queda absurda em relação as vendas atuais.

O movimento natural do mercado é que os desktops convencionais, mais básicos sejam cada vez mais substituídos por outras categorias de aparelhos, como os ultabooks, híbridos e até os Cromebooks. Outro segmento que seguirá crescendo, é o gamer, que mantém a tradição do desktop clássico mas com alto desempenho.

Fonte: hardware.com.br